Hamed Jafarnejad/Reuters
Hamed Jafarnejad/Reuters

Marinha iraniana lança míssil de longo alcance com sucesso

Marinha de Guerra iraniana deve realizar um simulacro de bloqueio do estreito de Ormuz

Efe,

02 de janeiro de 2012 | 09h39

TEERÃ - A Marinha iraniana lançou nesta segunda-feira, 2, com sucesso um míssil de longo alcance terra-mar nas manobras navais que realiza no Golfo Pérsico, informou o porta-voz dos exercícios, o almirante Mahmoud Moussavi, em declarações à agência oficial "Irna".

 

Veja também:

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

especialESPECIAL: Tambores de guerra no Oriente Médio

especialESPECIAL: O programa nuclear do Irã

tabela HOTSITE:A tensão entre Israel e o Irã

"Este míssil, que foi projetado por especialistas iranianos, conseguiu impactar nos alvos previstos e destruí-los", afirmou Moussavi.

O foguete, denominado Ghader, tem um alcance de cerca de 200 quilômetros, é projetado para a navegação marítima e é útil para os alvos de zonas litorâneas, além de ser capaz de destruir uma embarcação de guerra.

A Marinha iraniana começou no dia 24 de dezembro as manobras navais Velayat 90, que realiza nas águas do sul do país entre o Estreito de Ormuz e o Oceano Índico.

No domingo, os comandantes militares iranianos informaram do lançamento com sucesso de um míssil de alcance intermediário terra-ar antirradar.

Está previsto que hoje, nessas mesmas manobras, a Marinha de Guerra iraniana realize um simulacro de bloqueio do estreito, segundo anunciou Moussavi.

O Irã se encontra no meio de uma polêmica por causa de seu programa nuclear, que parte da comunidade internacional, com os EUA à frente, acredita que tem uma vertente militar destinada a fabricar bombas atômicas, o que Teerã nega, ao afirmar que é exclusivamente civil e com objetivos pacíficos.

Neste contexto, personalidades dos EUA e de Israel ameaçaram o Irã com ataques para impedir o desenvolvimento de seu programa nuclear, ao que Teerã contestou que, se acontecer, responderá de forma "arrasadora".

Além de eventuais ataques contra o território de Israel e bases e navios dos EUA na região, o Irã disse que, se sofrer uma agressão ou se sentir em perigo iminente, fecharia o Estreito de Ormuz, o que poderia representar um desabastecimento de petróleo no mundo de consequências imprevisíveis. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Irã nuclearOrmuz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.