Marinheiro recebe carta de amor de sua mulher 72 anos depois do envio

Carta tinha sido enviada em 1945 e foi encontrada em um buraco no teto da casa onde eles viviam

O Estado de S.Paulo

13 Maio 2017 | 01h41

WASHINGTON - Um marinheiro norueguês de 96 anos que vive na Califórnia, nos Estados Unidos, recebeu nesta semana uma carta de amor que enviou à sua mulher já falecida, segundo informou a CNN. 

A esposa, Virgínia, enviou a carta em 4 de maio de 1945 de Nova Jersey, onde viviam, ao navio de seu marido atracado em um porto de Trinidad e Tobago. A missiva, no entanto, nunca chegou e voltou para onde havia sido enviada.

A carta ficou então escondida na casa e somente na última semana os atuais proprietários a encontraram em uma fenda no teto enquanto faziam reformas. O envelope estava fechado. 

"O envelope estava velho e amarelo. Nunca haviam aberto. Foi incrível quando meu genro começou a ler. Na carta ela falava do bebê que teriam", explicou o proprietário Allen Cook. 

Melissa acessou a internet para buscar pistas do nome que estava na carta - Rolf Christoffersen - e encontrou um endereço em Santa Bárbara, Califórnia. Era um filho de Christoffersen de 66 anos com o mesmo nome.  

"Alguém ligou no meu escritório. Procuraram meu nome no Google porque tenho o mesmo nome que meu pai. Melissa me perguntou onde eu tinha nascido e eu disse. E então ela me contou sobre a carta", explicou o homem à CNN, que ainda não tinha nascido quando sua mãe enviou a carta. 

O pai se emociounou ao ver a carta de Virgínia, falecida seis anos atrás. "Fiquei muito surpreso depois de todos esses anos e muito feliz de saber que uma carta assim existia, ainda estou emocionado". 

"Te amo, Rolf, como amo o sol, e isso é o que você é para mim: o sol onde tudo gira em volta", dizia um trecho da carta. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.