Marinheiros britânicos deixam o Irã com destino a Londres

Os 15 marinheiros e fuzileiros britânicos que ficaram cativos por aproximadamente 15 dias deixaram o Irã nesta quinta-feira, 5, a bordo de um vôo comercial com destino a Londres. Na quarta-feira, 4, o presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad anunciou a libertação dos britânicos. Em uma entrevista coletiva, ele disse "apesar de o Irã ter o direito de processá-los, seguindo o ensinamento do Profeta, as 15 pessoas foram perdoadas e sua liberdade decretada como um presente de Páscoa para o povo britânico".O grupo partiu em um vôo da British Airway´s do Aeroporto Internacional de Mehrabad por volta das 8h30 (horário local), informou um repórter da Associated Press presente no local.Eles chegaram ao aeroporto em um comboio uma hora antes escoltados pela elite da Guarda Revolucionária. O embaixador do Reino Unido em Teerã, Geoffrey Adams, que estava no local, não quis comentar o assunto.Antes de embarcarem, os marinheiros receberam presentes dados por Ahmadinejad, informou a agência de notícias estatal Irna.Anúncio da libertaçãoO presidente, durante a entrevista coletiva, disse que estava disposto a perdoar os marinheiros, apesar de a Grã-Bretanha não ter sido ?valente o suficiente? para admitir que cometeu um erro e invadiu o território iraniano.Ahmadinejad disse ainda que Londres havia se comprometido em uma carta a evitar esse tipo de incidente, mas acrescentou que ?a libertação não está relacionada à carta, mas se deve à bondade islâmica?. Ele também pediu ao governo britânico que não puna os marinheiros por terem dito a verdade.O anúncio de Ahmadinejad levou a uma redução do preço do barril de petróleo, que havia subido em meio ao impasse. A bolsa americana de futuros e o dólar também subiram por causa do fim pacífico da crise.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.