AP Photo/Noah Berger
AP Photo/Noah Berger

Mark Zuckerberg deve comparecer ao Congresso americano nesta terça-feira

Audiência ocorre em meio a pressões por mais regulações nas redes sociais após escândalo envolvendo a Cambridge Analytica

O Estado de S.Paulo

09 Abril 2018 | 03h31

O fundador e presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, deve comparecer a uma audiência perante a Comissão de Energia e Comércio da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos nesta terça-feira, 10, para discutir o uso e a proteção dos dados pessoais dos usuários da plataforma. A reunião deve ocorrer em meio a pressões por mais regulações nas redes sociais após o escândalo envolvendo a empresa de inteligência Cambridge Analytica.

Senadores e deputados americanos deverão questionar, entre outras coisas, quais dados dos 87 milhões de usuários afetados foram compartilhados com a Cambridge Analytica. Zuckerberg também deverá responder como o Facebook enfrentará ameaças de manipulação política por meio da plataforma. 

+ Mensagens de Mark Zuckerberg no Facebook Messenger foram deletadas pela empresa

Segundo reportagens do The New York Times e do The Guardian, dados pessoais de milhares de pessoas foram obtidos pela Cambridge Analytica após usuários conectarem suas contas ao quiz online This is your digital life (Esta é sua vida digital), criado pelo pesquisador da Universidade de Cambridge Alksandr Kogan. 

+ Facebook vai verificar identidade para anúncios de cunho político nos EUA

As informações foram vendidas à empresa de inteligência, que utilizou os dados na campanha presidencial de Donald Trump em 2016.

+ Regras de privacidade da UE não serão ampliadas globalmente no Facebook, diz Zuckerberg

A revelação do uso de dados pessoais para influenciar as eleições colocou o Facebook no centro do escândalo. Mark Zuckerberg admitiu que houve falhas na proteção à privacidade dos dados dos usuários. A plataforma já suspendeu várias empresas que coletavam informações para fins de marketing.

Alertas

Em resposta ao escândalo, o Facebook começará nesta segunda-feira, 9, a enviar mensagens ao 87 milhões de usuários cujos dados foram compartilhados com a empresa de inteligência Cambridge Analytica. Segundo a empresa, os cidadãos americanos foram os mais afetados, mas há também residentes das Filipinas, Indonésia e Reino Unido. 

+ Como o compartilhamento de dados se tornou uma ameaça

Ainda nesta semana, o Facebook também enviará um alerta a todos os usuários da plataforma, que poderão conferir quais aplicativos estão conectados a suas contas e quais informações são compartilhadas com eles. //AP e AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.