Abdelhak Senna/AFP
Abdelhak Senna/AFP

Marrocos expulsa embaixador sírio de Rabat

Rabat pede transição democrática; Damasco, em resposta, declarou diplomata marroquino persona non grata

16 de julho de 2012 | 13h50

Texto atualizado às 14h14

 

RABAT - O governo do Marrocos expulsou nesta segunda-feira, 16, o embaixador da Síria no país, Nabih Ismail. Rabat pediu uma transição para a democracia na Síria. Em resposta, Damasco declarou o embaixador marroquino persona non grata.

 

O Ministério de Relações Exteriores não explicou os motivos da decisão de expulsar Nabih Ismail, mas disse em comunicado que a situação na Síria "não pode permanecer como está".

Ele acrescentou que Marrocos visou "uma eficiente medida para assegurar a transição política rumo a uma configuração democrática que garanta a unidade da Síria, estabilidade e segurança regional para alcançar as aspirações do povo sírio pela liberdade, dignidade e desenvolvimento.

A decisão se seguiu às deserções do embaixador sírio no Iraque Nawaf Fares e do general Manaf Tlass, muito próximo ao presidente Bashar Assad - acontecimentos que fizeram com que as autoridades do Ocidente declarassem que Assad estava perdendo poder, enquanto a revolta contra o governo crescia.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.