Marrocos rompe relações diplomáticas com Irã

País considerou 'ingerência intolevárel' críticas de Teerã ao apoio marroquino à soberania de Barein

Efe,

06 de março de 2009 | 16h55

O Marrocos anunciou nesta sexta-feira, 6, a ruptura das relações diplomáticas com o Irã, por considerar uma "intolerável ingerência em seus assuntos internos" as críticas de Teerã à defesa que as autoridades marroquinos fizeram da soberania do Barein. O comunicado do Ministério de Assuntos Exteriores divulgado pela agência oficial "MAP" destaca que, após a solidariedade expressada pelo Marrocos em relação à integridade territorial do reino do Barein, as declarações das autoridades iranianas são "inadmissíveis." Em fevereiro, o ex-presidente do Parlamento iraniano Ali Nateq Nouri afirmou que Barein, que possui uma população de 800 mil pessoas, havia sido uma província iraniana, o que provocou a reação contrária de grande parte dos países árabes, incluindo o Marrocos.  A nota destaca que, depois que Rabat pediu explicações ao governo iraniano sobre a postura de Nateq Nouri, "as autoridades iranianas se acharam no direito de ter de singularizar o Marrocos e publicar um comunicado com expressões inaceitáveis", que não foram reproduzidas. "Essa atitude inadmissível, dirigida somente contra o Marrocos, dá mostra de um ativismo provado das autoridades desse país, com o objetivo de alterar os fundamentos religiosos do reino e de atacar as bases da identidade ancestral do povo marroquino", indica esse documento. Para o ministério, a atitude do Executivo iraniano "constitui uma ingerência intolerável nos assuntos internos do país e é contrária às regras e à deontologia da ação diplomática", o que provocou a anunciada ruptura das relações.

Tudo o que sabemos sobre:
MarrocosIrã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.