Marroquino ligado a atentados é preso na Alemanha

A polícia alemã deteve nesta quarta-feira um marroquino dentro de seu apartamento na cidade de Hamburgo por acusações de que ele controlava uma conta utilizada para pagar diversos dos terroristas que atacaram os Estados Unidos dia 11 de setembro e de que tinha "contatos intensos" com a célula terrorista. Mounir El Motassadeq, de 27 anos, foi a primeira pessoa presa na Alemanha por contato direto com o grupo acusado pelos ataques contra as cidades norte-americanas de Washington e Nova York. El Motassadeq manteve contato durante alguns anos com diversos componentes da "célula de Hamburgo", inclusive o suposto líder do ataque, Mohamed Atta, informou a Procuradoria-Geral da Alemanha por meio de um comunicado. Ele tinha procuração para movimentar a conta do seqüestrador Marwan Al-Shehhi em Hamburgo, de acordo com o comunicado. Frauke Scheuten, uma porta-voz da procuradoria, não falou sobre a importância de Motassadeq na operação nem comentou sobre a participação dele na distribuição ou aquisição de "grandes somas de dinheiro" regularmente depositadas na conta entre maio e novembro de 2000. A conta seria utilizada para financiar Al-Shehhi e outros membros da célula terrorista, inclusive Atta e o seqüestrador Ziad Jarrah, disse o comunicado. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.