Marroquinos protestam em Casablanca e Tânger

Milhares de marroquinos protestaram neste domingo e pediram mais liberdade política, no momento em o movimento pró-democracia do país magrebino tenta retomar o ímpeto perdido com o final do verão. Pelo menos 3 mil pessoas protestaram na ruas de Casablanca, maior cidade do Marrocos, gritando contra a corrupção no governo. A manifestação foi organizada pelo movimento 20 de Fevereiro.

AE, Agência Estado

18 Setembro 2011 | 18h44

Como os outros países árabes, o Marrocos também assiste a protestos por reformas democráticas no governo. As manifestações começaram em fevereiro, mas perderam força nos últimos meses. O rei Mohammed VI, que permanece popular em grande parte do país, prometeu realizar reformas políticas e fez emendas à Constituição, a qual agora aumentou os poderes do primeiro-ministro.

Outras 2 mil pessoas fizeram uma manifestação em Tânger, onde a multidão pediu pela queda do regime - um pedido comum em outros países árabes, mas raro no Marrocos, onde muitas pessoas querem que a monarquia continue.

As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Marrocs política Mohammed VI

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.