Martelly pedirá mais tempo para Comitê de Reconstrução do Haiti

Presidente quer ampliar mandato do órgão; maioria dos haitianos ainda está em campos de desabrigados

Associated Press

20 de julho de 2011 | 20h36

Quase um ano e meio após o tremor, Haiti ainda está arrasado.

 

PORTO PRÍNCIPE - O presidente do Haiti, Michel Martelly, pedirá na sexta-feira a extensão do mandato do Comitê Interino de Reconstrução em um ano, indicou nesta quarta, 20, um funcionário do governo.

 

O grupo foi criado meses depois do devastador terremoto de janeiro de 2010 para coordenar os projetos de reconstrução e assegurar a transparência do uso de recursos doados por outros governos. O comitê é chefiado pelo ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton e pelo atual primeiro-ministro haitiano, Jean-Max Bellerive.

 

O mandato do comitê duraria inicialmente 18 meses e expiraria em outubro. O argumento para o pedido da renovação do mandato é de que o período foi insuficiente para que fossem realizadas as principais obras de recuperação do país centro-americano, o mais pobre do continente. A solicitação, porém, deve ser aprovada por um painel do comitê.

 

Muitos haitianos reclamam que o órgão não trabalhou como deveria para acelerar a reconstrução do Haiti. O terremoto de magnitude 7 na escala Richter destruiu boa parte do país e principalmente da capital Porto Príncipe. Milhões de haitianos seguem vivendo em campos de desabrigados e sofrem com a falta de assistência do governo.

Tudo o que sabemos sobre:
HaititerremotoMartellyreconstrução

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.