Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Martírio de Imã Hussein marcou divisão

A divisão entre xiitas e sunitas ocorreu em 680, quando o imã Hussein, neto do Profeta Maomé, e seus seguidores foram imolados por muçulmanos que negavam o status de sucessor a ele e seu pai, Ali. Para os sunitas, o sucessor legítimo de Maomé foi Abu Bakr, que acompanhou o profeta em uma de suas campanhas militares mais importantes - a fuga para Medina -, mas não tinha relação de parentesco com ele. Bakr foi consagrado califa e passou a liderar uma parcela significativa dos seguidores do Islã.

, O Estadao de S.Paulo

14 de março de 2010 | 00h00

O martírio de Hussein pelas mãos dos sunitas cimentou a separação dos "xiitas" (partido de Ali) do restante dos muçulmanos. Embora os xiitas formem a maior parte da população do Iraque, os sunitas se tornaram hegemônicos no poder até a queda de Saddam Hussein, em 2003.

Três grandes cidades nas proximidades de Bagdá têm população majoritariamente sunita: Tikrit, Faluja e Baquba, capitais respectivamente das províncias de Salah el-Din, Anbar e Diyala. Desde o início da ocupação americana, o chamado Triângulo Sunita tornou-se o mais resistente reduto dos insurgentes. A ferocidade dos rebeldes sunitas, associados a grupos terroristas como a Al-Qaeda, foi contida graças ao reforço de tropas dos EUA, em 2007, e à aliança entre os americanos e líderes tribais reunidos no movimento Despertar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.