Massacre na Colômbia pode ter mais de 25 vítimas

Uma comissão investigadora tentava chegar hoje a uma remota área de cordilheira no sudoeste do país, que foi cenário de um massacre de mais de 20 camponeses informaram autoridades locais. A região de Alto Naya, 340 quilômetros ao sudoeste de Bogotá, foi atacada na terça-feira por uma coluna de supostos militantes paramilitares que buscavam assassinar aqueles que fossem considerados colaboradores da guerrilha. "Até o momento, de acordo com os dados obtidos pela Defensoria do Povo, foram registrados mais de 25 assassinatos na comunidade camponesa", disse o Defensor do Povo, Eduardo Cifuentes. No entanto, por enquanto, o governo de Valle de Cauca confirmou a existência de seis mortos e dezenas de desaparecidos. Um comunicado lido hoje pelos guerrilheiros do Exército de Libertação Nacional (ELN) anunciou a suspensão de todas as operações de interrupção de tráfego na rodovia que liga Bogotá a Medellín, as duas principais cidades da Colômbia. O comandante rebelde Timoleón garante que o ELN adotou esta postura como um "ato de boa vontade devido à aproximação com o governo colombiano para retomar as negociações de paz". A medida se estende a outras rodovias menores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.