Massacre real traumatizou o país

Sete anos após o massacre da família real, que permitiu ao rei Gyanendra assumir o trono, o Nepal continua traumatizado pela tragédia. Na noite de 1º de junho de 2001, o príncipe herdeiro Dipendra, bêbado e drogado, matou o rei Birendra, sua mãe e sete outros membros de sua família durante um jantar antes de tentar se suicidar. Gravemente ferido, Dipendra foi nomeado rei, mas acabou morrendo. Segundo investigações, o príncipe matou a família por sua recusa em aceitar o casamento dele com a namorada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.