Material atômico desaparece de instalações russas

O chefe da agência atômica da Rússia informou que pequenas quantidades de materiais utilizados na fabricação de armas e em reatores desapareceram das instalações nucleares do país."Foi registrado o desaparecimento de material atômico, mas a quantidade é outro assunto", disse Yuri Vishnyevsky, chefe do Gosatomnadzor, em uma entrevista coletiva. "As situações das quais podemos falar hoje envolvem de gramas (de material) do tipo para armamentos ou quilogramas de urânio que se usa em usinas atômicas".Segundo Vishnyevsky, os casos foram registrados na instalação atômica de Elektrostal, na região de Moscou, e na de Novosibirsk. Ele não forneceu detalhes sobre quando nem como o material sumiu.Poucos gramas de urânio 235, que é utilizado com freqüência na fabricação de armas, não seriam suficientes para fabricar bombas. Mas o urânio que é usado em reatores pode ser enriquecido para a utilização em armamentos através de um complicado processo que pode ser dominado por qualquer país que tente desenvolver armas nucleares, tais como o Iraque.A questão da segurança nos depósitos atômicos russos vem gerando preocupação na última década, desde que a queda da União Soviética trouxe consigo problemas financeiros, que reduziram o financiamento das instalações estatais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.