Matteo Renzi deve ser nomeado premiê da Itália

O líder do partido Democrático da Itália, Matteo Renzi, deve ser nomeado primeiro-ministro na segunda-feira, quando se reúne com o presidente Giorgio Napolitano. O primeiro desafio de Renzi será formar um governo de coalizão dinâmico e harmonioso o suficiente para estimular a economia, criar empregos e convencer o parlamento a aprovar reformas eleitorais concebidas para tornar o país mais governável.

AE, Agência Estado

16 de fevereiro de 2014 | 16h33

Valendo-se de manobras dentro de seu partido, Renzi orquestrou o fim do governo do premiê Enrico Letta, que renunciou na sexta-feira. Dias antes de líderes do partido Democrático usarem uma moção de confiança para forçar a renúncia de Letta, Renzi havia garantido ao premiê que não havia motivo para preocupação, que ele somente tentaria obter o cargo através de eleições.

Prefeito de Florença e estrela em ascensão na política italiana, Renzi, de 39 anos, deve se tornar o mais jovem primeiro-ministro do país. Caso seja nomeado, deve buscar uma coalizão sólida com partidos de centro e centro-direita, já que os democratas não possuem uma maioria confiável em ambas as câmaras. Depois, Renzi deve sobreviver a moções de confiança obrigatórias no parlamento.

Angelino Alfano, líder de um partido de centro-direita e ministro do Interior no governo de Letta, disse que exigirá promessas de Renzi antes de se juntar ao novo governo. Alfano disse que o apoio de seu pequeno partido será decisivo para Renzi. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ITÁLIAPOLÍTICARENZI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.