Mau tempo dificulta resgate de náufragos na Indonésia

Embarcação levava mais de 200 pessoas sem documentos de imigração legal, em sua maioria do Oriente Médio, à Austrália

Agências internacionais,

18 de dezembro de 2011 | 16h16

 

Resgatados recebem atendimento médico em Trenggalek, Java Oriental

JACARTA - O mau tempo e ondas de até quatro metros dificultam a localização das mais de 200 pessoas que desapareceram após um barco naufragar na costa de Java, uma das principais ilhas da Indonésia. A embarcação, na qual estavam habitantes do Oriente Médio, se dirigia à Austrália, onde eles buscariam asilo.

Os pescadores da região salvaram 34 passageiros - todos, menos dois, já receberam alta médica. "Enviamos quatro botes e dois helicópteros, mas, até o momento, não encontramos ninguém boiando. É muito provável que todos tenham se afogado", disse Gagah Prakoso, um porta-voz da Agência Nacional de Busca e Resgate da Indonésia, segundo o meio de comunicação local okezone.com.

Prakoso destacou que até mesmo para um bom nadador com um colete salva-vidas seria impossível alcançar a costa sob condições meteorológicas tão adversas. "Quando um barco afunda desta maneira, é comum que os cadáveres emirjam no terceiro dia", acrescentou o porta-voz.

As autoridades da Indonésia estimam que viajavam no barco entre 215 e 250 pessoas, segundo os depoimentos de alguns dos sobreviventes. "A embarcação naufragou nas águas de Prigi (distrito de Watulimo), no leste de Java, a 90 quilômetros da costa", disse o porta-voz do Centro para Mitigação de Desastres da Indonésia, Sutopo Purwo, à rede de televisão Metro.

A Polícia atribuiu o acidente, ocorrido no sábado, à sobrecarga, ao assinalar em declarações à agência oficial de notícias da Indonésia, Antara, que a embarcação levava mais que o dobro de sua capacidade, ao que parece.

Alwi Mudzakir, um oficial da polícia marítima que dirigia a operação de resgate, disse que alguns dos resgatados comunicaram às autoridades que estavam decididos a buscar asilo na Austrália. Ele disse ainda que cerca de 250 solicitantes de asilo - em sua maioria provenientes do Afeganistão mas também do Iraque, do Irã e da Turquia, foram pegos por um grupo não identificado, na quinta-feira , em quatro ônibus na capital da Indonésia, Jacarta.

O grupo lhes ofereceu levá-los à Isla de Navidad, um território australiano no Oceano Índico, sem documentos de imigração legal. Um dos sobreviventes, Esmat Adine, disse à Antara que o barco começou a balançar de um lado para o outro, o que provocou pânico generalizado. Em razão do amontoamento de pessoas, não havia espaço para que elas se movessem, disse o imigrante, um afegão de 24 anos.  Ele calculou que mais de 40 crianças estavam no barco.

Um dos resgatados acena à jornalistas de um ônibus, em Trenggalek

A Indonésia, um extenso arquipélago com 240 milhões de habitantes, tem mais de 18 mil ilhas e milhares de quilômetros de costa sem vigilância, o que faz da região um ponto-chave de trânsito para o tráfico de pessoas.

(Com Efe e AP)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.