Mauritânia sofre tentativa de golpe de Estado

Tropas rebeldes cercaram hoje o palácio presidencial da Mauritânia, em Nuakchott, numa tentativa de golpe de Estado que deixou grande número de mortos e feridos, informou a televisão Al-Jazira, do Catar.Os rebeldes cercaram também o edifício da emissora estatal de televisão. Testemunhas citadas pela Al-Jazira e pela BBC observaram tanques destruídos e intensa troca de tiros entre forças leais e contrárias ao presidente Maouia Ould Sidi Mohammed Taya.Segundo a BBC, ele se refugiu na Embaixada da França, mas o governo francês desmentiu a versão. Por sua vez, a Al-Jazira disse que Taya, coronel do Exército que tomou o poder em 1984, comanda pessoalmente a defesa da capital.Circularam rumores de que os rebeldes haviam tomado a emissora de TV. Mas, pouco depois, o canal informava que o governo detinha o controle da situação, embora admitindo a existência de "alguns focos de resistência".Segundo moradores de Nuakchott, os combates começaram por volta de 2h da madrugada de hoje. Algumas fontes citadas pela Al-Jazira sustentam que o golpe foi urdido por um grupo de jovens oficiais nacionalistas. Outras garantem que a rebelião é liderada por um militar de alta patente de tendência panárabe - a Mauritânia é um país islâmico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.