Parbul TV/Handout via Reuters
Parbul TV/Handout via Reuters

May enfrentará moção de censura no Parlamento, diz jornal britânico

Segundo o Daily Telegraph, parlamentares do Partido Conservador devem entregar as 48 cartas necessárias para desencadear a votação

O Estado de S.Paulo

16 de novembro de 2018 | 09h31

A primeira-ministra britânica, Theresa May, passará por uma moção de censura na próxima semana, uma vez que parlamentares de seu Partido Conservador devem entregar as 48 cartas necessárias para desencadear uma votação contra a liderança da premiê nesta sexta-feira, afirmou o jornal Daily Telegraph.

May pode ter de enfrentar a moção de censura na terça-feira, disse o correspondente chefe de política do Telegraph, Christopher Hope, citando fontes que defendem o Brexit.

 

O governo de May entrou em uma grave crise política desde a quinta-feira, quando dois dos principais membros de seu gabinete e outros dois secretários que não concordam com a aprovação do acordo prévio para a retirada do Reino Unido da União Europeia pediram demissão. Entre eles estão o negociador do Brexit, Dominic Raab e e a secretária do Trabalho, Esther McVey. 

Após apresentar o plano à Câmara dos Comuns pela manhã, May rejeitou à tarde que pretenda deixar o cargo e deu sinais de que pretende enfrentar uma moção de desconfiança de sua legenda. Alas mais eurocéticas do Partido Conservador articulavam ontem a aprovação do pedido. A oposição, composta pelo Partido Trabalhista, o Partido Nacional Escocês e o Partido Liberal-Democrata, voltou a dar sinais que não pretende aprovar o acordo no Parlamento. 

É necessário o apoio de 48 deputados do Partido Conservador para a que a moção de desconfiança vá a votação e o respaldo de 158 dos 315 parlamentares da legenda para que May deixe o cargo. 

Uma pesquisa divulgada pelo canal de TV Sky News ontem indica que, agora, 54% dos britânicos preferem continuar na União Europeia. Apenas 14% apoiam o plano de May e 32% querem deixar o bloco de qualquer maneira. No plebiscito de 2016, 52% da população votou por deixar o bloco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.