Francois Lenoir/AP
Francois Lenoir/AP

May oferece 'acordo justo' aos cidadãos europeus na Grã-Bretanha

Segundo ela, europeus com cinco anos de residência no país manterão seu status de residência permanente na Grã-Bretanha

O Estado de S.Paulo

22 de junho de 2017 | 17h27

BRUXELAS - A primeira-ministra britânica, Theresa May, apresentou nesta quinta-feira, 22, o que chamou de "acordo justo" para os cidadãos europeus que vivem na Grã-Bretanha após concluído o Brexit. Em seu primeiro teste de força nas negociações com a União Europeia, May afirmou que não quer que ninguém tenha de deixar seu país ou dividir famílias em razão da separação.  

Ao expor cinco princípios da sua "séria e justa oferta", May afirmou aos líderes da UE na cúpula em Bruxelas que ela oferecerá segurança aos cidadãos europeus sobre seu futuro na Grã-Bretanha, suavizando seu tom ao abordar o Brexit. Segundo ela, europeus com cinco anos de resiência no país manterão seu estatus de residência permanente na Grã-Bretanha.   

A ideia da premiê é "garantir que os europeus residindo no Reino Unido tenham seus direitos protegidos após a saída do país do bloco" e "ver protegidos os direitos dos cidadãos britânicos na Europa".

Os 27 países querem garantir os direitos de 3,6 milhões de cidadãos da UE que vivem no Reino Unido e de 900 mil britânicos que residem no bloco, em sua maioria na Espanha, incluindo acesso a educação e saúde. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.