Simon Dawson / Bloomberg
Simon Dawson / Bloomberg

May pede extensão do prazo do Brexit até 30 de junho enquanto UE discute adiamento de até um ano

Pedido da primeira-ministra britânica foi feito em uma carta de 10 parágrafos enviada a Donald Tusk; presidente do Conselho Europeu, no entanto, leva ao bloco uma proposta de adiamento flexível de 12 meses

Célia Froufe, correspondente / Londres, O Estado de S.Paulo

05 de abril de 2019 | 05h49
Atualizado 05 de abril de 2019 | 10h37

LONDRES - A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, solicitou nesta sexta-feira, 5, a extensão do prazo do Brexit - a saída britânica da União Europeia (UE) - até 30 de junho. Pedido foi feito em uma carta de 10 parágrafos enviada ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk. Esta é a mais nova tentativa da premiê de ganhar tempo para o divórcio por meio do Parlamento.

Tusk, no entanto, levará aos Estados do bloco europeu nesta sexta uma proposta de adiamento "flexível" de até um ano para o Brexit. “Poderíamos dar ao Reino Unido uma prorrogação de um ano, encerrada automaticamente uma vez que o Acordo de Saída tenha sido aceito e ratificado pela Câmara dos Comuns”, explicou o presidente do Conselho Europeu. 

Apesar da pressão do bloco para adiar as negociações por um prazo mais longo, ela tem buscado extensões pequenas da data. Inicialmente, a separação estava prevista para ocorrer no dia 29 de março, mas sofreu vários reveses do Legislativo, que negou por três vezes sua proposta de acordo fechada com os líderes da UE.

A expectativa de May agora é a de que, até essa nova data, ela consiga obter um acordo com o aval do Parlamento. No documento, a primeira-ministra salientou que o impasse do Brexit não pode continuar e enfatizou que o Reino Unido está criando incertezas e prejudicando a fé na política, enquanto a UE tem o legítimo desejo de poder tomar suas decisões sobre seu próprio futuro.

Após o pedido de May, a França considerou "prematuro" concordar com um adiamento sem que haja um "plano claro" do Brexit no dia 10 de abril, quando ocorre uma cúpula da UE.

A premiê expressou decepção pelo fato de os dois lados não terem chegado a um consenso até o momento. "É frustrante que não tenhamos ainda levado o processo (do Brexit) para uma conclusão com sucesso e de forma ordenada."

Embora tenha solicitado a prorrogação do prazo para o fim de junho, May disse que sua intenção é a de que um consenso seja obtido antes do dia 23 de maio, quando ocorrem as eleições parlamentares da UE. Ela afirmou que o desejo do Reino Unido é o de não participar dessa votação. Apesar disso, a premiê ressaltou que o país ainda se preparará para essas eleições se um acordo não for ratificado a tempo.

May vem buscando nos últimos dias um acordo sobre o Brexit com o líder da oposição, Jeremy Corbyn, do Partido Trabalhista, com a intenção de garantir o aval do Parlamento. / Com AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.