EFE/ Facundo Arrizabalaga
EFE/ Facundo Arrizabalaga

May reforma gabinete antes de retomar as discussões sobre o Brexit

Com as mudanças, premiê britânica buscará reafirmar sua autoridade após o fracasso sofrido nas eleições legislativas de junho, que a deixou sem maioria absoluta no Parlamento

O Estado de S.Paulo

08 Janeiro 2018 | 09h04

LONDRES - A primeira-ministra britânica, Theresa May, realizará nesta segunda-feira, 8, uma reforma em seu governo depois da renúncia, em dezembro, de seu vice-primeiro-ministro, Damian Green, que admitiu ter mentido sobre a descoberta de imagens pornográficas em um de seus computadores.

+ Fuga de braços em razão do Brexit atormenta britânicos

Com as mudanças, May tentará reafirmar sua autoridade depois do fracasso sofrido nas eleições legislativas de junho, que a deixou sem maioria absoluta na Câmara dos Comuns.

+ Pesquisa aponta que mais da metade dos britânicos não quer o Brexit

O novo Executivo deverá definir rapidamente sua posição visando às negociações com Bruxelas sobre o Brexit, que serão retomadas neste mês para discutir o período de transição. Em março, abordará a futura relação comercial entre Reino Unido e União Europeia (UE).

Não é esperado que a premiê renove os nomes mais importantes do governo, mas a previsão é que esta seja a maior reforma de sua equipe desde que chegou ao poder, em julho de 2016.

O ministro das Finanças, Philip Hammond; a ministra do Interior, Amber Rudd; o ministro das Relações Exteriores, Boris Johnson; e o responsável pelo processo do Brexit, David Davis, serão mantidos em suas funções.

A necessidade de uma reforma governamental se fez mais necessária depois que Damian Green deixou seu cargo em dezembro. Seu posto deve assumido por Jeremy Hunt, atual ministro da Saúde. Mas sua promoção pode levantar dúvidas sobre a crise que afeta o NHS, o serviço de saúde britânico. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.