Mbeki renuncia na África do Sul

Partidários do presidente ameaçam formar dissidência do CNA para disputar próximas eleições

Reuters e AP, Johannesburgo, O Estadao de S.Paulo

22 de setembro de 2008 | 00h00

O presidente da África do Sul, Thabo Mbeki, anunciou ontem em rede nacional que entregou sua renúncia à presidente do Congresso, Baleka Mbete. Os parlamentares sul-africanos se reunirão nos próximos dias para definir quem será o presidente interino do país - o cargo deve ficar com a própria Baleka, que deverá antecipar as eleições, marcadas inicialmente para abril do ano que vem.A queda de Mbeki tomou forma após um juiz retirar acusações de corrupção contra seu maior rival, Jacob Zuma, presidente do Congresso Nacional Africano (CNA), partido que governa o país desde o fim do apartheid, em 1994. No despacho que inocentou Zuma, o juiz sugeriu que houve interferência política no caso, enfurecendo militantes pró-Zuma, que são maioria dentro do CNA.Desde que assumiu o poder, em 1999, Mbeki conduziu o país por uma década de grande crescimento econômico, o mais longo período de expansão na história sul-africana. No entanto, ele foi duramente criticado por não enfrentar os problemas centrais da África do Sul, como a pobreza, a criminalidade e a proliferação da aids. A imagem do presidente também sai arranhada, tanto interna quanto externamente, por sua atuação passiva diante da crise no vizinho Zimbábue. Mbeki foi um ativo combatente na luta contra o regime de segregação racial, que teve apoio irrestrito de Robert Mugabe, líder zimbabuano. Em razão dessa relação histórica, o governo de Mbeki jamais pressionou para que houvesse uma abertura política no país vizinho.O partido passa agora para as mãos de Zuma, que deve vencer com facilidade as próximas eleições. Os partidários de Mbeki, no entanto, ameaçaram ontem criar uma dissidência do CNA, o que poderia abrir uma nova frente política no eleitorado negro e dificultar a eleição de Zuma.CNA EM CRISEJunho/2005 - Envolvido em escândalos de corrupção e estupro, Zuma é destituído do governo de Mbeki e expulso do CNA Abril/2006 - Zuma é absolvido das acusações de estupro Maio/2006 - CNA aprova a volta de Zuma ao partido Dezembro/2007 - Zuma derrota Mbeki na eleição para presidente do CNA Agosto/2008 - Zuma é absolvido das acusações de corrupção, abrindo caminho para que seus partidários pressionem pela renúncia de Mbeki

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.