McAfee é detido na Guatemala e teme voltar a Belize

O norte-americano John McAfee, criador da empresa de software que produz o famoso antivírus com o seu sobrenome, foi detido pela polícia da Guatemala por ter entrado no país ilegalmente, em um episódio que acabou com sua semana de fuga através da América Central. McAfee afirma que é perseguido pela polícia de Belize. A chancelaria da Guatemala informou que o guru dos softwares antivírus ficará retido até que obtenha mais informações de Belize, onde McAfee é procurado por envolvimento na morte de Gregory Viant Faull, um cidadão norte-americano de 52 anos. McAfee pediu na quarta-feira asilo político na Guatemala e teme ser assassinado se regressar a Belize. As autoridades de Belize questionam o estado mental do guru dos antivírus, de 67 anos.

AE, Agência Estado

06 de dezembro de 2012 | 14h21

"Nós estamos esperando instruções do Ministério das Relações Exteriores. É a chancelaria quem decidirá o processo", disse o ministro do Interior da Guatemala, Mauricio López Bonilla. McAfee foi detido em um hotel luxuoso na Cidade da Guatemala. McAfee disse que possui informações importantes sobre corrupção em Belize e que não quer passá-las aos políticos do país, nos quais não confia.

O advogado de McAfee na Guatemala, Telésforo Guerra, alertou que a vida do seu cliente poderá ficar em risco se ele for deportado a Belize. "Eles estará em perigo ser for enviado a Belize, onde denunciou autoridades", disse Guerra. "A partir do momento em que ele pediu asilo à Guatemala, está sob proteção do nosso governo", disse Telésforo. O advogado disse que entrará com uma ação judicial em breve para que McAfee obtenha permissão para viver na Guatemala.

A polícia de Belize nega que esteja perseguindo o guru dos antivírus e disse que não existe ordem de prisão emitida contra ele. O primeiro-ministro de Belize chegou a questionar o estado mental de McAfee. McAfee fugiu na semana passada, após a polícia de Belize questioná-lo sobre o assassinato de Gregory Viant Faull, morto a tiros no começo de novembro em uma lha no Caribe onde os dois eram vizinhos.

Gregory e sua família, além de outros moradores da ilha, um resort de luxo, viviam reclamando à polícia de Belize que McAfee mantinha cachorros selvagens na sua propriedade, exibia armas e consumia drogas abertamente na praia em frente à mansão. A família de Faull, que acredita que McAfee matou o americano, acusa o guru dos antivírus de manipular a mídia. McAfee admite que seus cachorros provocaram reclamações da família Faull, mas nega ter matado Gregory.

McAfee, criador do software antivírus, levou uma vida excêntrica de milionário nos EUA, até que vendeu a participação na empresa que fundou e há três anos se mudou para Belize, onde paga menos impostos sobre sua fortuna. Ele afirmou recentemente ao jornal The New York Times que perdeu quase toda sua fortuna de US$ 100 milhões na crise financeira de 2008 e 2009 nos EUA e que sobraram apenas US$ 4 milhões.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.