Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

McCain acusa Obama de trair promessa de financiamento eleitoral

O pré-candidatorepublicano à Presidência dos EUA John McCain acusou naquarta-feira o seu rival democrata Barack Obama de descumpriruma promessa de se limitar ao uso de verbas públicas decampanha para a eleição de novembro. Obama arrecada até 1 milhão de dólares por dia, abrindo umagrande vantagem financeira sobre McCain e a democrata HillaryClinton, naquela que deve ser a eleição mais cara da histórianorte-americana. Obama disse há um ano que aceitaria o financiamentoeleitoral público, o que o obrigaria a limitar seus gastos acerca de 85 milhões de dólares, caso ele fosse indicado e seurival republicano também aceitasse a limitação. "Eu me comprometi com o financiamento público. Ele secomprometeu com o financiamento público. Não é mais complicadodo que isso. Eu vou manter minha palavra, quero que elemantenha a sua", afirmou McCain em entrevista coletiva. Nas últimas semanas, embalado pelas sucessivas vitórias nasprévias estaduais, Obama recusou-se a reiterar o compromisso. Os discursos de Obama vêm se tornando um dos grandes temasda campanha eleitoral. Hillary, que disputa com ele a indicaçãopartidária, o acusou nos últimos dias de ter muita oratória epouca substância. McCain, que já é o virtual indicado entre os republicanos,aproveitou esse tema na noite de terça-feira, no discurso decomemoração da vitória nas primárias de Wisconsin. TratandoObama como favorito entre os democratas, McCain nem mencionouHillary em sua fala. Na entrevista coletiva de quarta-feira, McCain mostrou umareportagem publicada no mesmo dia no USA Today em que Obamadiz: "Seria presunçoso da minha parte dizer agora que eu vou meprender a uma coisa que eu nem sei se o outro lado vaiaceitar." "Essa é a dubiedade de Washington", afirmou McCain. "Porisso o povo norte-americano é tão cínico conosco lá emWashington." Os gastos com a campanha presidencial de 2008 devem superarfacilmente os quase 300 milhões de dólares arrecadados porGeorge W. Bush em 2004. Por isso é tentador abrir mão dasverbas públicas e dos limites que elas acarretam. A ONG Centro para a Política Responsável estima que cadaindicado precisará arrecadar pelo menos meio bilhão de dólarespara disputar a eleição geral de novembro. Todas as campanhas têm até meia-noite para informar ostotais arrecadados em janeiro. Em meados do ano passado, McCainquase abandonou a pré-candidatura devido à falta de dinheiro. O financiamento público foi criado na década de 1970,depois do escândalo Watergate, que revelou falcatruas nofinanciamento eleitoral e levou à queda do presidenterepublicano Richard Nixon. McCain é autor de um projeto de lei que limita o dinheirona política, o que irrita alguns conservadores do seu partido,que vêem a idéia como uma violação do direito à liberdade deexpressão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.