McCain é acusado de laço com grupo direitista

O senador John McCain foi acusado ontem de ligação com o Conselho Americano para a Liberdade Mundial, um grupo de apoio aos contra-revolucionários nicaragüenses que atuou ativamente no escândalo Irã-Contras, nos anos 80. A organização era formada por simpatizantes do nazismo e esquadrões da morte que atuavam na América Central.A revelação foi feita ontem pelo general da reserva John Singlaub, fundador do grupo, em entrevista à Associated Press. Ele confirmou que McCain apoiava o grupo, embora não fosse membro. "Nós o aceitamos no conselho da organização para que ele não se sentisse excluído", disse.Durante o governo de Ronald Reagan, funcionários federais desviaram recursos da venda secreta de armas ao Irã para financiar milícias contra-revolucionárias, principalmente na Nicarágua. O caso Irã-Contras acabou fazendo com que o grupo fosse desmantelado. A campanha de McCain informou que o candidato deixou a organização em 1984.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.