McCain é vaiado ao falar na TV contra o aborto

O candidato republicano à CasaBranca, John McCain, foi na sexta-feira a programas de TV paratentar cortejar o eleitorado feminino, mas em um deles ouviuvaias ao criticar o direito ao aborto. "Acredito que [o caso] Roe versus Wade foi uma decisãomuito ruim, foi uma decisão ruim", disse McCain no "The View",da rede ABC, sobre a sentença de 1973 da Suprema Corte queestabeleceu o direito ao aborto nos EUA. A platéia feminina, que havia aplaudido várias declaraçõesdo candidato, reagiu com algumas vaias. A pergunta haviapartido de Elisabeth Hasselbeck, adversária do aborto epartidária da guerra do Iraque, que havia declarado voto nele. Ele também foi pressionado a respeito da inexperiência dasua candidata a vice, a governadora do Alasca, Sarah Palin. Aentrevistadora Barbara Walters o interrompeu várias vezes paraquestionar que mudanças específicas a dupla pode fazer emWashington. McCain foi aplaudido ao falar de sua fé em Deus e aodefender a separação entre Igreja e Estado. A atriz WhoopiGoldberg, uma das cinco entrevistadoras, perguntou se areligião orientaria seu eventual governo. "Todos, obviamente, têm direito à sua fé. Rezo todos osdias por orientação e por fazer a coisa certa", disse McCain. Na quarta-feira, McCain já havia participado de umamesa-redonda com mulheres na Filadélfia, um reduto democrata, ena sexta-feira gravou também uma participação na cozinha doestúdio do "Rachel Ray Show", entre costeletas grelhadas evestindo um avental com os dizeres "beije o candidato". Oprograma vai ao ar no dia 22. McCain espera conquistar eleitoras frustradas com a derrotade Hillary Clinton nas primárias democratas. O senador disse que ele e sua esposa, Cindy, que também foiao "The View", não compartilham da opinião mais conservadora desua vice, segundo quem não deveria haver exceções para o abortonem em caso de estupro e incesto. Pesquisa Washington Post/ABC News publicada na terça-feiramostrou que grande parte do crescimento da candidatura deMcCain desde a escolha de Palin e a convenção republicana sedeve ao apoio de eleitoras brancas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.