McCain faz viagem eleitoral pela nostalgia

O candidatorepublicano à Presidência dos EUA, John McCain, percorre nestasemana lugares que foram importantes em sua formação no seio deuma família militar. Enquanto os senadores Hillary Clinton e Barack Obama aindadisputam a indicação do Partido Democrata, o republicano JohnMcCain pode se dar ao luxo de passar a semana se reapresentandoao eleitorado norte-americano. A viagem, batizada de "Serviço à América", começa nasegunda-feira no Mississippi, terra natal de várias geraçõesdos McCains, numa propriedade que pertence à família desde1848. Ele também visitará um subúrbio de Washington ondefrequentou o colégio, a Academia Naval de Annapolis (Maryland),onde foi um dos piores alunos da sua turma, e a Flórida, ondefoi treinado como piloto da Marinha. O périplo termina noArizona, seu Estado natal. Esse evento se destina também a levar McCain de volta aonoticiário, já que sua candidatura anda ofuscada pela acirradadisputa democrata. McCain vem de uma tradicional família militar. "Remontamosa herança marcial da minha família à Revolução (Americana, noséculo 18). Um ancestral distante serviu ao general (George)Washington, e parece que meus ancestrais travaram a maioria dasguerras na história da nossa nação", dirá McCain nasegunda-feira. A base aero-naval de Meridian, Mississippi, onde McCain jáfoi instrutor de vôo, leva o nome do avô dele, John SidneyMcCain. Tanto seu avô quanto seu pai (também chamado JohnMcCain) foram almirantes. O avô assistiu à rendição japonesa na Segunda GuerraMundial a bordo do navio norte-americano Missouri, em 1945, emorreu subitamente, quatro dias depois. Seu pai atuou emsubmarinos e chegou a comandar todas as forças dos EUA noPacífico durante a Guerra do Vietnã. McCain também lutou nesseconflito e passou cinco anos como prisioneiro de guerra dosnorte-vietnamitas. "Fui um servo imperfeito do meu país por muitos anos. Massou seu filho, e eles me mostraram como amar meu país, e issofez toda a diferença para mim", dirá McCain, segundo trechos dodiscurso divulgados antecipadamente por assessores. O senador deve usar o pronunciamento para apresentar algunsprincípios que seguirá em seu eventual governo. Prometerátambém criar novos programas de requalificação profissionalpara pessoas que percam o emprego devido à crise econômica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.