McCain já seleciona candidatos a vice para eleição nos EUA

Governador de Minnesota, Tim Pawlenty, está entre os políticos cogitados para ocupar o cargo

Reuters,

02 de abril de 2008 | 10h48

O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, disse nesta quarta-feira, 2, que começou a compilar uma lista de possíveis companheiros para ocupar a candidatura a vice. Em entrevista a uma radio, McCain, de 71 anos, disse em tom de brincadeira: "Estou ciente da importância da questão (do vice) devido à minha idade."   Veja também: Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA   Ele não deu pistas sobre quem consta na lista de possíveis vices, mas afirmou que "gostaria que isso fosse resolvido o mais rápido possível". McCain deseja chegar à convenção nacional republicana, em setembro, já com o candidato a vice definido. Entre os políticos que vêm sendo mais citados como possíveis vices está o governador de Minnesota, Tim Pawlenty. Nesta quarta-feira, McCain participa de uma visita à Academia Naval dos EUA, em Maryland, onde ficou durante quatro anos, na juventude, antes de ser enviado como piloto à guerra do Vietnã. Durante o conflito, seu avião foi abatido e ele passou cinco anos e meio como prisioneiro. Nesta semana, o candidato republicano visita locais importantes de sua vida, num recurso para chamar a atenção da imprensa, atualmente dedicada a cobrir a acirrada disputa pela indicação democrata entre Barack Obama e Hillary Clinton. McCain passou os últimos dias falando da sua transformação de "bad boy" em herói de guerra, tema ao qual certamente voltará em Annapolis. Ele foi o quinto pior aluno da sua turma. "Na verdade, meus quatro anos na Academia Naval não foram notáveis por virtudes exemplares ou feitos acadêmicos, e sim por um impressionante catálogo de deméritos que eu consegui acumular", deve dizer McCain, segundo trechos do discurso divulgados antecipadamente. Questionado pelo radialista sobre o que seu pai e seu avô (ambos chegaram a almirantes) pensariam sobre sua passagem pela Academia Naval, McCain disse que isso não teria importância. "Nenhum deles mereceu qualquer honraria especial ao cabo da sua graduação", contou.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.