McCain: política econômica de Obama está 'à esquerda'

A quatro dias das eleições presidenciais nos Estados Unidos, o candidato republicano John McCain está intensificando sua mensagem de vítima no crucial Estado de Ohio, atrás nas pesquisas mas prometendo que "nós voltaremos" com força à corrida presidencial contra o rival democrata Barack Obama. Em entrevista na manhã de hoje à ABC News, McCain acusou que as políticas econômicas que Obama propõe estão muito à esquerda do que é o padrão americano. "Nós vamos lutar contra elas", disse McCain. "A política econômica do senador Obama está muito à esquerda da política americana e a nossa está no centro", disse. "Ele quer aumentar os impostos para as pessoas - isso está claro."Obama afirma que se eleito ele apenas aumentará impostos para aqueles que ganham mais de US$ 250 mil por ano, e que reduzirá impostos para todos que ganham menos que isso - segundo ele, 95% das famílias americanas.McCain percorreu o Estado de Ohio com seu ônibus pelo segundo dia seguido, fez uma parada e um comício em Hanoverton e em seguida foi para Columbus, com o governador da Califórnia, o ex-ator de Hollywood Arnold Schwarzenegger. Os estrategistas de campanha de McCain dizem que é crucial ele vencer em Ohio.Obama abriu sua liderança nas pesquisas ao ligar, com insistência, seu rival ao impopular presidente George W. Bush, um colega republicano que está sendo pesadamente culpado pela crise financeira americana. Os eleitores acreditam que Obama é o candidato mais qualificado para lidar com a difícil situação da economia americana.Uma nova pesquisa feita entre a Associated Press e o Yahoo News mostrou Obama liderando sobre McCain entre os eleitores potenciais, com 51% das intenções de voto, enquanto o republicano está com 43%. A margem de erro da pesquisa é de três pontos porcentuais para mais ou para menos. Posando de ''vítima''Já Obama atraiu o ex vice-presidente dos EUA e hoje ambientalista Al Gore para sua campanha, em uma carreata na Flórida. Enquanto Obama partiu para o meio-oeste dos EUA, Gore e sua esposa Tipper farão comícios hoje e amanhã em Fort Lauderdale e West Palm Beach.Obama visitou suas filhas em uma rápida parada em Chicago e foi para Indiana, outro Estado onde a disputa está muito apertada com McCain. Ele fez uma parada rápida em Des Moines, Iowa, onde fez um breve discurso, atacando a campanha negativa de McCain, a quem acusou de posar de vítima. "Há duas eleições (em 2000) existiu um candidato presidencial que rejeitou esse tipo de política e condenou essas táticas. E então eu o admirei. Ele disse ''eu não tomarei a estrada fácil para o maior cargo nesta Terra''. Essas palavras foram ditas há oito anos por meu rival, John McCain. Mas a estrada mais longa não levou ele para a Casa Branca há oito anos, então desta vez ele decidiu tomar o outro caminho", atacou Obama.Hoje, no que poderia ser uma humilhação para McCain, o gerente da campanha de Obama, David Plouffe, disse que os democratas também exibirão propagandas no Arizona, Estado pelo qual McCain elegeu-se senador por quatro vezes. Plouffe disse que a corrida presidencial está mais disputada no Arizona, Dakota do Norte e Georgia - três Estados "republicanos", onde W. Bush venceu Al Gore em 2000 e derrotou John Kerry em 2004. As pesquisas indicam que no Arizona McCain tem 47% das intenções de voto e Obama tem 45%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.