McCain promete prêmio de US$300 mi para inventor de nova bateria

O candidato republicano John McCaindisse nesta segunda-feira que se for eleito presidente dosEstados Unidos vai desafiar os especialistas norte-americanospara que desenvolvam uma bateria futurista para veículoselétricos, concedendo-lhes um prêmio de 300 milhões de dólares. McCain busca se apresentar como um líder com visão defuturo para resolver a crise de energia dos EUA, uma semanadepois de ser criticado duramente pelos democratas por passar aapoiar a exploração de petróleo em alto-mar --por um longotempo ele foi opositor dessa iniciativa. Num momento em que os norte-americanos estão às voltas coma gasolina atingindo o preço recorde de 4 dólares o galãodurante as férias de verão no país, nas quais muita gente viajade carro, tanto McCain como seu oponente democrata na eleiçãode novembro, Barack Obama, estão expondo suas propostas para aresolução dos problemas energéticos que enfraquecem a economianorte-americana. McCain observou que o Brasil já se livrou das importaçõesde petróleo por meio da conversão da maioria dos carros novosao sistema flex, que permite o uso de álcool como combustível.Segundo McCain, a frota de novos carros flex no Brasil passoude 5 para 70 por cento em três anos. "Seja por meio de uma reunião com montadoras durante meuprimeiro mês no cargo, ou pela minha assinatura em um ato doCongresso, vamos atingir a meta de rápida conversão dosveículos norte-americanos para deixarem de precisar depetróleo", afirmou McCain em uma reunião da prefeitura emFresno, cidade na região central rural da Califórnia. MCCain, senador de 71 anos do Estado do Arizona, podetornar-se a pessoa mais velha a eleger-se presidente dos EUAnum primeiro mandato. As pesquisas indicam que ele está atrásde Obama na intenção de voto dos eleitores, mas não por amplamargem. Um dado preocupante para ele aparece na pesquisa USAToday/Gallup publicada nesta segunda-feira. A sondagem revelaque os temas que mais preocupam os eleitores são energia eeconomia e, em cada uma dessas áreas, eles preferem Obama poruma margem de dois dígitos. McCain disse que vai lançar um desafio do carro limpo paraas montadoras dos EUA. "Para cada montadora que puder vender um carro com emissãozero (de dióxido de carbono), nós vamos entregar 5.000 dólaresem restituição de impostos para cada consumidor que compraresse veículo. Para outros veículos, de qualquer tipo, quantomais baixa a emissão de carbono, mais alta será a restituiçãode impostos", disse ele. McCain também ofereceu um grande prêmio para quemapresentar uma inovação tecnológica: "Um prêmio de 300 milhõesde dólares para o desenvolvimento de uma bateria que tenha otamanho, capacidade, custo e energia para ser usada nos carroselétricos ou híbridos disponíveis." McCain vem procurando se distanciar do impopular presidentedo país, George W. Bush, e também pareceu adotar uma posiçãocrítica em relação aos esforços de Bush e outros para persuadiras nações da Opep a baixar os preços do petróleo. A campanha de Obama deu uma entrevista a jornalistas pararesponder ao discurso de McCain sobre a questão energética,reagindo com ceticismo. O conselheiro econômico de Obama Jason Furman disse quedurante sua longa carreira no Congresso dos EUA McCain "teve achance de fazer uma diferença para a segurança energética e asfamílias da América". "E ele não somente não fez essa diferença como ficou nocaminho de pessoas que queriam aumentar nossa segurançaenergética, como o senador Obama", afirmou Furman. (Reportagem adicional de Deborah Charles e Jeff Mason)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.