McConnell diz que não haverá paralisação do governo

O líder dos republicanos no Senado americano, Mitch McConnell, afirmou que as batalhas fiscais que podem ocorrer no próximo ano não vão levar a uma paralisação do governo ou déficit nas contas do país. "Não haverá paralisação do governo nem default sobre a dívida nacional", declarou o senador.

MARCELLA FERNANDES, COM INFORMAÇÕES DA ASSOCIATED PRESS, DOW JONES NEWSWIRES E MARKET NEWS INTERNATIONAL, Estadão Conteúdo

05 de novembro de 2014 | 18h40

McConnell foi reeleito na terça-feira e deve se tornar lidar da maioria no Senado em 2015. Ele se recusou a dizer se apoiaria as condições exigidas para a legislação do teto da dívida, mas enfatizou que a situação em 2015 será muito diferente de 2011, quando houve uma feroz batalha sobre o tema.

De acordo com o senador, no próximo ano, a maioria dos republicanos no Congresso vai dar ao partido "outros mecanismos", tais como projetos de lei sobre gastos e legislação de reconciliação, para tentar alterar a política fiscal em vez de modificar o teto da dívida.

O futuro líder da maioria disse que falou com Obama nesta quarta-feira e que espera encontrar áreas onde os republicanos e os democratas possam concordar, citando especificamente acordos comerciais e a reforma tributária. Ele acrescentou que os republicanos querem trabalhar na legislação de energia, incluindo conseguir a aprovação do oleoduto Keystone XL.

Para McConnell, a vitória republicana no Senado indica insatisfação com a administração Obama e uma "disfunção" em Washington.

Mais conteúdo sobre:
EUAeleiçõesMcConnell

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.