Médica chinesa admite ter vendido recém-nascidos

Uma médica chinesa admitiu em um tribunal que convenceu os pais a cederem seus recém-nascidos para que ela pudesse vendê-los a traficantes de pessoas. Segundo a agência oficial de notícias Xinhua, a obstetra Zhang Shuxia foi julgada na segunda-feira no condado de Fuping, localizado na província de Shaanxi, em um caso que expôs as operações de uma quadrilha de tráfico de bebês que operava em várias regiões do país.

AE, Agência Estado

31 de dezembro de 2013 | 06h56

A agência afirmou que Zhang vendeu sete recém-nascidos entre o final de 2011 e julho de 2013 para traficantes de seres humanos. A médica recebeu as crianças dos pais depois de alegar que os bebês tinham doenças incuráveis. Um dos recém-nascidos morreu.

O tráfico de crianças é um problema grave na China, onde a preferência tradicional por herdeiros do sexo masculino e uma política do filho único têm impulsionado um mercado de venda de meninos. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaescândalorecém-nascidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.