Médico americano que contraiu ebola deve deixar hospital

Pelo menos um dos dois trabalhadores humanitários norte-americanos que foram infectados com o vírus do ebola na África se recuperou e deve ser liberado do hospital de Atlanta onde está internado, informou o Samaritan''s Purse, grupo para o qual trabalha.

Estadão Conteúdo

21 de agosto de 2014 | 10h42

Alison Geist, porta-voz do Samaritan''s Purse, confirmou que o doutor Kent Brantly será liberado nesta quinta-feira, mas não sabia em que horário. O hospital universitário Emory planejava realizar uma coletiva de imprensa na manhã de hoje para discutir a liberação dos dois pacientes.

Franklin Graham, presidente da organização, sediada na Carolina do Norte, disse em comunicado que o grupo estava celebrando a recuperação de Brantly, que está em isolamento no hospital há quase três semanas.

"Hoje eu me junto a todos os grupos do Samaritan''s Purse ao redor do mundo no agradecimento da Deus enquanto celebramos a recuperação do doutor Kent Brantly e sua saída do hospital", disse Graham em comunicado.

Brantly foi retirado de avião da Libéria no dia 2 de agosto. No dia 5, Nancy Writebol, também saiu do país numa aeronave especial por ter sido diagnosticada com a doença. Os dois foram infectados com ebola enquanto trabalhavam numa clínica da organização, nas proximidades da capital da Libéria.

O atual surto de ebola já matou 1.350 pessoas na África ocidental. O número de mortos aumenta rapidamente na Libéria, que agora registra pelo menos 576 das mortes, afirma a Organização Mundial da Saúde (OMS). Ao menos 2.473 pessoas foram infectadas na região, mais do que o número de casos de todos os surtos anteriores somados.

A doença só é transmitida pelo contato direto com fluidos corporais de pessoas infectadas que apresentam os sintomas da doença. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAebolamédicorecuperação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.