Médico classifica presidente como 'doente terminal'

Em longa entrevista publicada na edição de ontem do jornal "El Nacional", o médico venezuelano radicado em Miami José Rafael Marquina, que há meses vem postando no Twitter informações sobre Chávez, atribuiu a falha pulmonar à falência da drenagem pleural, em razão de uma metástase.

O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2013 | 02h04

"Não se trata de um processo infeccioso, como tinham informado, pois, neste caso, isso já teria sido superado", afirmou. "O câncer invadiu a drenagem linfática, o que faz com que o paciente tenha acúmulo de fluido pleural. Em Cuba, estavam drenando o fluido pleural e esse é um mau prognóstico."

Marquina acrescentou ainda que o pulmão deve de estar muito afetado para que se produza uma insuficiência dessa natureza e classificou o presidente venezuelano como "um paciente terminal". / R.L.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.