Waheed Khan/Efe
Waheed Khan/Efe

Médico da Cruz Vermelha é encontrado morto no Paquistão

Ele tinha sido sequestrado em janeiro; corpo foi encontrado numa estrada com marcas de tortura

Estadão.com.br, Agência Estado

29 de abril de 2012 | 09h49

ISLAMABAD - O médico britânico da Cruz Vermelha que havia sido sequestrado no dia 5 de janeiro foi encontrado morto em Quetta, no sul do Paquistão,  anunciou a Cruz Vermelha neste domingo, 29.

O corpo de Khalil Ahmed Dale foi encontrado na estrada que leva ao aeroporto da cidade pouco antes das 12h (hora local), segundo um agente da polícia que preferiu o anonimato declarou à agência Efe.

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha já havia denunciado o assassinato em comunicado enviado da sede da organização em Genebra. O diretor-geral do grupo humanitário, Yves Daccord, disse que estava "devastado" e declarou que "condena em todos seus termos este ato de barbárie".

A nota lembrou que Dale trabalhou durante anos para a Cruz Vermelha em países como a Somália, Afeganistão e Iraque, e que há um ano estava no Paquistão.

O chefe da polícia de Quetta, Malik Arshid, detalhou ao jornal local Express Tribune que o corpo do britânico apresentava numerosas marcas de bala e evidentes sinais de tortura.

De acordo com a publicação, a polícia encontrou junto ao corpo um bilhete dos seqüestradores que dizia que o médico foi morto por não ter cumprido exigências feitas pelos bandidos. Não foi especificado quais determinações seriam essas.

O ministro britânico das Relações Exteriores, William Hague, expressou por meio de um comunicado sua "grande tristeza" pela morte do trabalhador humanitário "apesar dos esforços do governo de Londres para libertá-lo", e acrescentou que o ato foi "cruel e sem sentido".

Quetta é a capital da província de Baluchistão, na fronteira com o Afeganistão e o Irã, e na região operam tanto grupos separatistas como redes jihadistas filiadas ao movimento talibã.

Em março um casal de suíços sequestrados por oito meses por um grupo fundamentalista vinculado à Al Qaeda quando realizavam uma viagem de turismo pela região foi finalmente liberado.

Com informações da Dow Jones e da Efe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.