Médico de Michael é investigado por homicídio culposo

O médico pessoal do cantor Michael Jackson, falecido aos 50 anos em 25 de junho, será investigado por homicídio culposo, informou esta noite um tribunal em Houston, no Texas, que permitiu às autoridades a busca de evidências que indiquem se o Dr. Conrad Murray cometeu homicídio culposo (quando não há a intenção de matar) ou não. Murray é o cardiologista que estava com o astro quando ele morreu. A ordem de investigação, emitida hoje, é uma confirmação de que o doutor Murray será investigado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.