Médico diz que saúde da ex-premiê da Ucrânia melhora

Médicos alemães disseram nesta quarta-feira que mantém "conversas construtivas" com seus colegas ucranianos e também com as autoridades da Ucrânia a respeito da saúde da ex-primeira-ministra ucraniana Yulia Tymoshenko, que continua internada em um hospital em Kharkov, no leste ucraniano. O médico Karl Max Einhaeulp, chefe do Hospital Charite de Berlim, viajou com dois colegas à Ucrânia nesta semana e foi a Kharkov.

AE, Agência Estado

01 de agosto de 2012 | 14h35

Tymoshenko, condenada a sete anos de prisão, sofre de dores severas nas costas e é tratada em um hospital, após supostamente sofrer um espancamento no presídio agrícola perto de Kharkov. Ela afirma que é perseguida pelo presidente ucraniano Viktor Yanukovich. Einhaeupl disse hoje que as reuniões com os médicos ucranianos foram "positivas" e que a equipe alemã também teve "conversas construtivas" com o Ministério da Saúde da Ucrânia. Especialistas dizem que as condições de saúde de Tymoshenko estão melhorando, mas que ela ainda precisa de oito semanas de tratamento contra o stress para estabilizar sua recuperação.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.