Médico francês confirma que Kim teve derrame em 2008

O neurocirurgião francês Francois-Xavier Roux, que disse que o tratamento ministrado por ele tirou Kim Jong Il do coma após um sério derrame em 2008, deu a entender que o líder norte-coreano viveu mais do que o esperado.

AE, Agência Estado

19 de dezembro de 2011 | 14h06

O doutor Roux disse que foi enviado às pressas para a Coreia do Norte em agosto de 2008 para examina Kim, que estava inconsciente e "muito mal" na unidade de terapia intensiva do hospital da Cruz Vermelha, em Pyongyang. Segundo o médico, o derrame aumentou as chances de Kim morrer nos anos seguintes.

A viagem e os exames médicos permitiram acesso quase inigualável de um ocidental ao reservado regime norte-coreano. Roux é chefe de neurocirurgia do hospital Sainte Anne, em Paris.

O médico conversou com a Associated Press nesta segunda-feira depois de a mídia estatal norte-coreana ter anunciado a morte de Kim, aos 69 anos, após um ataque cardíaco no sábado. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do NorteKimderrame

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.