Médico que ajudou CIA é condenado por traição

Um médico paquistanês acusado de ajudar a CIA a localizar Osama bin Laden foi sentenciado a 33 anos de prisão por traição, segundo canais de TV e um funcionário do governo local. Shakil Afridi foi acusado de promover uma falsa campanha de vacinação que teria ajudado a agência americana de inteligência a localizar Bin Laden em Abbottabad, onde ele foi morto há um ano por forças especiais dos EUA.

O Estado de S.Paulo

24 Maio 2012 | 03h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.