Médico ucraniano ateia fogo ao próprio corpo

O médico-chefe de um hospital regional público na Ucrânia ateou fogo ao próprio corpo em protesto com o atraso de dois meses nos salários devidos pelo governo, informaram a polícia e o hospital. Vladislav Tsupryk, chefe do Hospital Orlyvska, na região de Chernihiv, encontra-se em estado crítico por causa das queimaduras.Um representante da polícia local confirmou que o médico incendiou o corpo, mas não ofereceu maiores informações. Cerca de mil membros do sindicato dos médicos da Ucrânia fizeram piquetes diante do Parlamento no ano passado, exigindo salários atrasados e aumento. O salário mensal médio de um médico na Ucrânia é de 200 hryvna, algo como US$ 38 (R$ 114). Segundo o sindicato, a dívida do governo para com profissionais de saúde chegava, ano passado, a US$ 1,1 bilhão.O serviço médico na Ucrânia é gratuito para a população, e pago pelo orçamento público, mas o governo vem cortando os subsídios desde o colapso da União Soviética, em 1991. As pessoas vêm sendo forçadas a pagar por seringas e remédios, e a oferecer subornos aos médicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.