Médicos adiam cirurgia em Sharon por causa de infecção

O primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, em coma desde um derrame cerebral sofrido em 4 de janeiro, seria submetido a uma cirurgia nesta terça-feira, mas o procedimento foi adiado depois que os médicos detectaram uma infecção, informaram fontes hospitalares. Os médicos pretendiam reposicionar um pedaço do crânio retirado logo depois do derrame. Sharon, de 78 anos, seria submetido à oitava cirurgia desde sua última internação. Ron Krumer, porta-voz do Hospital Hadassah, onde Sharon está internado, disse que a cirurgia será realizada somente depois que a infecção, comum em pacientes nas condições do primeiro-ministro, for eliminada. O processo infeccioso, detectado na manhã desta terça-feira em exames de rotina, está sendo tratado com antibióticos, prosseguiu o porta-voz. "Não há regras sobre a duração de infecções. Pode durar um dia, dois dias, duas semanas", disse Krumer à Associated Press.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.