Médicos alertam para risco de epidemias em regiões da China

Falta de água e comida dificultam a prevenção de doenças; autoridades distribuem panfletos de recomendações

Efe,

15 de maio de 2008 | 17h15

Os médicos que estão no norte da província de Sichuan, no sudoeste da China, a zona mais atingida pelo terremoto, advertiram nesta quinta-feira, 15, que, à medida que passam os dias, aumenta o risco de epidemias entre os sobreviventes. Em localidades como Dujiangyan e Juxuan, os médicos distribuem entre os moradores panfletos com recomendações para evitar o surgimento de doenças, entre elas recomendo o reforço no cuidado com a higiene, mas a falta de água e a escassez de alimentos dificultam a prevenção.  Veja também:Chances de encontrar vítimas com vida na China diminuemNúmero de mortos pode chegar a 50 milChineses no Brasil arrecadam ajuda Mapa da destruição na China Entenda como acontecem os terremotos  Vídeo com imagens do terremoto Imagens da destruição  O Diário do Povo, voz do Partido Comunista da China, também advertiu hoje do perigo de epidemias, e pediu que as zonas afetadas "intensifiquem o alerta" diante dos problemas sanitários. O surgimento de epidemias só pioraria a situação após o devastador terremoto da segunda-feira e os deslizamentos de terra de dias posteriores, causados pelas fortes chuvas que caíam na zona no momento do terremoto. As equipes médicas trabalham ao máximo para distribuir comida, bebida, roupas, cobertores e tendas aos sobreviventes, mas seu esforço se concentra nas cidades mais acessíveis, por isso, no epicentro do terremoto e em alguns povoados, a ajuda de emergência quase não chega.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.