Médicos de Pinochet justificam recuperação e negam fraude

A equipe médica que atendeu a Augusto Pinochet explicou nesta segunda-feira, em entrevista coletiva, a rápida recuperação do ex-ditador, que no domingo passado sofreu um ataque agudo do miocárdio, e rejeitaram taxativamente a tese de uma montagem.Os médicos Rodrigo Aguila, cardiologista chefe do hospital militar, e Juan Ignacio Vergara, chefe da equipe médica, afirmaram que a crise de saúde do ex-governante (1973-1990) foi real."Não estaríamos presentes aqui numa entrevista coletiva se tivéssemos criado uma armação. Evidentemente, como médicos, atuamos de forma profissional", declarou Vergara."Se um doente é revascularizado a tempo, evita a perda de massa ventricular e fica com uma função contrátil do coração razoável, ele começa a se recuperar de forma precoce" disse o especialista que operou Pinochet, Rodrigo Aguila.Os profissionais afirmaram que o ex-ditador está em condições favoráveis e não precisa de nenhuma assistência médica especial."Ele está sem apoio especial, só com hidratação, alimentação oral líquida e com seus remédios de prevenção de embolia e de tromboses", declararam os médicos.No entanto, não quiseram falar da recuperação como um "milagre", como a família do ex-ditador. Pinochet já conseguiu se levantar de sua cama e amanhã será levado a um quarto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.