Médicos de Portugal em greve contra austeridade fiscal

Médicos portugueses vão ficar em greve por 48 horas em protesto contra as medidas de austeridade que, afirmam eles, estão enfraquecendo o sistema público de saúde do país. Nem autoridades nem os sindicatos forneceram os números de adesão da mobilização que começou na quarta-feira.

AE, Agência Estado

12 de julho de 2012 | 08h53

O governo de Portugal precisa reduzir gastos na saúde como parte dos cortes de orçamento prometidos em troca da ajuda de 78 bilhões de euros fornecida pelos outros países europeus no ano passado. Os sindicatos reclamam que alguns médicos estão trabalhando horas excessivas e protestam contra o crescente uso de companhias privadas pra prover serviços públicos.

O governo também aumentou o preço de alguns serviços. O custo para utilizar salas de emergência aumentou de 9,60 euros para 20 euros. Muitos hospitais reagendaram cirurgias e clínicas adiaram consultas em preparação à greve, que foi anunciada mês passado. Serviços de emergência não foram afetados.

Mais conteúdo sobre:
PORTUGALCRISESAÚDE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.