Médicos estão otimistas sobre estado de saúde de deputada americana

Neurocirurgião diz que cérebro de Giffords responde a comandos

Associated Press

10 de janeiro de 2011 | 17h05

TUCSON - Médicos disseram nesta segunda-feira, 10, que o cérebro da deputada pelo Arizona Gabrielle Giffords continua inchado, mas que a pressão não está aumentando, um bom sinal na recuperação da congressista ferida com um bala na cabeça.

 

O neurocirurgião Michael Lemole, do Centro Médico Universitário, em Tucson, disse que a condição de Giffords é estável.

 

"É por isso que somos muito mais otimistas e poderemos respirar aliviados depois que passar o terceiro dia", disse a jornalistas.

 

Lemole disse que Giffords responde às ordens de apertar as mãos e mover os dedos do pés.

O neurocirurgião disse que há outros bons sinais: "O centros do cérebro não apenas estão trabalhando, como estão se comunicado".

 

Dos feridos no tiroteio, que matou seis pessoas, oito ainda se encontravam hospitalizados nesta segunda. Giffords se encontra em estado crítico, cinco em estado grave e dois sem risco de vida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.