Médicos marcam cesariana da princesa Kiko para 6 de setembro

A Casa Imperial japonesa confirmou nesta quinta-feira que a princesa Kiko, mulher do príncipe Akishino e cunhada do príncipe herdeiro, Naruhito, dará à luz por cesariana no dia 6 de setembro a um bebê, que, se for menino, se tornará herdeiro do Trono do Crisântemo.Se o bebê for do sexo masculino, será o primeiro nascido na família imperial em mais de 40 anos e terceiro na linha de sucessão, depois do príncipe Naruhito, atual herdeiro do trono mais antigo do planeta, e de Akishino.Se for uma menina, porém, a ausência de um herdeiro na terceira geração na Casa Imperial japonesa pode reabrir o debate sobre a sucessão ao Trono.A princesa Kiko, de 39 anos, e o príncipe Akishino, de 40, se casaram em 1990 e são pais de duas meninas, Mako, de 14 anos, e Kako, de 11.Seja menino ou menina, o bebe será o quarto neto do imperador do Japão, Akihito, de 72 anos, e da imperatriz Michiko, de 71, e o 23º membro vivo da família imperial.O príncipe herdeiro Naruhito e sua mulher, Masako, têm uma filha, Aiko. Antes de surgir a possibilidade de nascer um menino na família imperial, o Governo tinha dado os primeiros passos para mudar a Lei de Sucessão, a fim de garantir um herdeiro, fosse homem ou mulher.Uma das aparentes razões para a depressão que tem mantido Masako reclusa nas residências imperiais desde 2003, quando abandonou todas as suas tarefas oficiais, foi não ter tido um filho.Caso a reforma legal defendida pelo primeiro-ministro, Junichiro Koizumi, tivesse sido aprovada, Aiko, de 4 anos, seria a terceira pessoa na linha de sucessão.Mas após o anúncio, em janeiro, da gravidez de Kiko, o primeiro-ministro renunciou à reforma, pressionado pelos setores mais conservadores do Partido Liberal-Democrata (PLD).Koizumi abandonará o Governo em 20 de setembro. A ala mais tradicionalista do PLD deve tomar o poder e se opor a reabrir o debate sucessório, pelo menos num futuro próximo.No entanto, dois terços dos japoneses apoiaram em diversas ocasiões favoráveis a possibilidade de que uma mulher suba ao Trono imperial. Assim, se nascer uma menina no dia 6 de setembro, o debate pode ser reaberto.Será a primeira vez que uma mulher da família imperial dará à luz por cesariana.Kiko se encontra no hospital Aiiku desde 16 de agosto. Ela foi internada para preparar o parto e também em conseqüência de problemas surgidos ao longo da gravidez. O seu diagnóstico foi de placenta prévia.Segundo a Casa Imperial, a hospitalização da nora do imperador pretende garantir todas as condições de segurança para que o parto aconteça sem problemas.

Agencia Estado,

01 de setembro de 2006 | 12h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.