Médicos negam que ex-presidente egípcio Mubarak esteja em coma

Suposto coma foi divulgado pela TV estatal egípcia, citando o advogado do ex-presidente.

BBC Brasil, BBC

17 de julho de 2011 | 17h00

Um médico que cuida do ex-presidente egípcio Hosni Mubarak nega que ele esteja em coma, como informou mais cedo a TV estatal do Egito.

A emissora citou o advogado de Mubarak, que afirmou que a saúde do ex-presidente de 83 anos se deteriorou severamente no hospital onde ele está sendo mantido preso, na cidade litorânea de Sharm-el_Sheik.

Segundo o correspondente da BBC no Cairo Jon Leyne, a informação foi rapidamente negada por diferentes médicos. O chefe da equipe que cuida do ex-presidente afirma que ele está em condição estável.

O médico diz que Mubarak somente sentiu-se tonto depois de uma queda na pressão arterial, para a qual foi tratado prontamente.

Mubarak renunciou à Presidência em fevereiro, após ficar quase 30 anos no poder, devido a protestos populares em massa que pediam reformas democráticas e a troca do regime. Centenas de pessoas morreram durante as manifestações.

O ex-chefe de Estado deve ir à Justiça no próximo dia 3 de agosto, para responder pelas mortes de civis durante os protestos e por acusações de corrupção.

Segundo o correspondente da BBC, líderes da oposição acreditam que os militares que comandam interinamente o Egito não querem que Mubarak vá ao tribunal, por temor do constrangimento que o julgamento pode trazer a eles.

Leyne afirma que este episódio envolvendo o suposto coma de Mubarak somente vai aumentar o ceticismo em relação a quaisquer relatos sobre a saúde do ex-presidente.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.