Médicos protestam por salários melhores na Romênia

Milhares de médicos e enfermeiras protestaram pelas ruas de Bucareste para exigir salários maiores e condições de trabalho melhores para funcionários do sistema de saúde na Romênia.

AE, Agência Estado

02 de novembro de 2013 | 11h17

Os profissionais exigem que o governo aumente os gastos para saúde em 4% a 6% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. O Colegiado Romeno de Médicos alega que cerca de três mil pessoas emigram todos os anos para trabalhar em outros países onde podem conseguir salários e condições de trabalho melhores.

Os doutores iniciantes ganham menos de 200 euros (US$ 275) por mês. Pagamentos informais e subornos são frequentes no sistema de saúde romeno. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Romêniamédicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.