Elena Latypova/AP
Elena Latypova/AP

Opositor russo Alexei Navalni é transferido para a Alemanha

Médicos haviam sido acusados de tentar bloquear traslado; opositor está em estado grave e aliados falam em envenenamento

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2020 | 08h59
Atualizado 18 de setembro de 2020 | 13h44

MOSCOU - Uma ambulância aérea que transportava o crítico do Kremlin em estado grave Alexei Navalni, pousou no aeroporto Tegel de Berlim na manhã de sábado, segundo dados de rastreamento de voos. Médicos alemães voaram na sexta-feira, 21, para a cidade siberiana de Omsk para a transferência de Navalni, um adversário de longa data do presidente Vladimir Putin, a pedido de sua esposa e aliados, que disseram que o hospital que o atende estava mal equipado. De acordo com o líder da ONG alemã Cinema pela Paz, Jaka Bizilj, o estado de saúde de Navalni, em coma e conectado a um respirador, é "estável".

A ambulância com o principal adversário do presidente russo, em coma após um suposto "envenenamento" -segundo seus aliados, partiu na manhã deste sábado, 22, da cidade de Omsk (Sibéria) com destino à Alemanha, onde será tratado. A decolagem ocorreu após um longo dia de discussões sobre sua evacuação.

“O avião com Alexei partiu para Berlim. Muito obrigado a todos pelo apoio. A luta pela vida e saúde de Alexei apenas começou, ainda há muitas provações pela frente, mas agora, pelo menos, aconteceu. o primeiro passo ", declarou a porta-voz da oposição, Kira Yarmysh, no Twitter.

Pouco antes, Yarmysh postou uma foto da maca na qual Navalni foi transferido para o avião, informando que estava acompanhado de sua esposa. 

O hospital russo no qual o opositor russo Alexei Navalni recebeu cuidados intensivos desde a última quinta-feira após passar mal autorizou nesta sexta-feira, 21, seu traslado à Alemanha, como haviam solicitado seus familiares e aliados. 

"Decidimos não nos opor à sua transferência para outro hospital, o que nos foi indicado por seus familiares", informou aos jornalistas o diretor do hospital de Omsk, na Sibéria, Anatoli Kalinishenko, após explicar que no momento a condição de saúde do paciente é "estável". 

A transferência "não vai acontecer instantaneamente, mas vai acontecer hoje", acrescentou. 

Nesta sexta-feira, médicos alemães chegaram a Omsk, na Sibéria, em um avião fornecido pela ONG alemã Cinema for Peace, examinaram Navalni e garantiram estar preparados para levá-lo a Berlim, onde receberá atendimento médico.

A princípio, os médicos russos consideravam que o translado seria "prematuro", já que ele não se encontrava estável.

A esposa de Navalni pediu ao presidente Vladimir Putin que permitisse a transferência, depois que os médicos relataram não ter encontrado "nenhum veneno" em seu corpo.

"Acredito que Alexei Navalni precisa de ajuda médica qualificada na Alemanha", escreveu sua esposa, Yulia Navalnaya, em uma carta destinada a Putin, postada no Twitter. 

Os aliados de Navalni e seus familiares denunciaram a recusa inicial dos médicos russos em transferi-lo para a Alemanha, o que interpretaram como uma "ameaça à vida" do opositor.  

Eles recorreram à Corte Europeia dos Direitos Humanos (CEDH) para obter autorização das autoridades para transferi-lo. Nesta sexta-feira, a Corte solicitou à Rússia que os familiares e médicos do opositor tenham total acesso a ele. /AFP e Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.