"Médicos Sem Fronteiras" deixa o Afeganistão

A organização humanitária Médicos Sem Fronteiras fechou hoje programas de ajuda médica em duas cidades do Afeganistão, Kandahar e Mazar-i-Sharif, depois que grupos armados roubaram remédios, equipamentos e veículos pertencentes ao grupo.A pilhagem foi a última de uma série de ataques a organizações e ajuda que ainda operam no Afeganistão para ajudar pessoas necessitadas. "Esses roubos afetam diretamente a habilidade de agências humanitárias de ajudar uma população civil desesperada", afirmou Sidney Jones, do Human Rights Watch (HRW), um grupo de direitos humanos com base em Nova York.A decisão dos Médicos Sem Fronteiras foi anunciada no mesmo dia em que o embaixador do Taleban no Paquistão, mulá Abdul Salam Zaeef, fez um apelo urgente a grupos estrangeiros para que enviem comida e medicamentos para o Afeganistão.O HRW e outras agências de ajuda culpam a milícia do Taleban e pessoas aparentemente ligadas a Osama bin Laden por alguns dos ataques.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.