Médicos Sem Fronteiras deixam o Afeganistão

A organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) torna-se o primeiro grande grupo de ajuda humanitária a abandonar o Afeganistão após a queda do regime do Taleban, dizendo que o governo afegão ignorou provas de que líderes locais estão por trás do assassinato de cinco de seus agentes. A organização, ganhadora de um Prêmio Nobel, também denuncia que os militares dos EUA usam a ajuda humanitária para induzir os afegãos a denunciar terroristas. Segundo a MSF, a prática faz com que todos os agentes humanitários passem a ser vistos como alvos.?Acreditamos que o clima para ação humanitária independente no Afeganistão, neste momento, simplesmente evaporou?, disse Kenny Gluck, diretor de operações da MSF. O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, disse lamentar a decisão da organização e insistiu que as autoridades seguem investigando a morte dos agentes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.